Satélites: Movendo o Mundo Moderno

Esta semana, no dia 12 de agosto, marca o aniversário de 55 anos do lançamento do Echo 1A pela NASA, considerado como o primeiro satélite de comunicação da história. Apesar de ser um satélite bastante básico e com funcionamento completamente analógico, e não digital, ele demonstrou um grande avanço nas comunicações via satélite.

Satélites - Balão Echo 1A

O balão Echo 1A
(Fonte: Wikipedia)

O Echo 1A era, em essência, um balão. Ele possuía equipamentos transmissores, mas estes eram usados apenas para telemetria junto à NASA, todo o funcionamento do satélite como forma de comunicação estava baseado em sua superfície refletiva composta por um material chamado Mylar, onde uma pessoa em determinado ponto da Terra precisava calcular para qual ponto do satélite deveria emitir um sinal de forma que ele chegasse em determinado ponto no planeta.

Apesar deste funcionamento rústico, o Echo 1A foi o primeiro satélite lançado apenas com o intuito de auxiliar nas comunicações, em contraste com o Sputnik 1 soviético, cujo propósito era apenas avançar a exploração espacial, com sistemas de comunicação utilizados unicamente para telemetria.

Satélites - Uma réplica do Sputnik 1

Uma réplica do Sputnik 1
(Fonte: Wikipedia)

Essa metodologia analógica de comunicação não durou muito tempo. Satélites de comunicação logo passaram a trabalhar com antenas e transponders para transmitir sinais de forma mais segura e com menos falhas, de forma digital, sem precisar depender da reflexão do sinal. O fato de satélites terem abandonado a ideia de utilizar um balão também permitiu uma maior durabilidade por eles, já que balões são muito finos e frágeis.

Inicialmente a principal função dos satélites de comunicação, após serem estabelecidos como uma forma confiável de transmissão, era de repassar sinais de telefonia para ligações de longas distâncias, especialmente para outros continentes. Por exemplo, uma ligação indo dos EUA para algum país europeu precisaria passar por uma estação que enviaria o sinal para um satélite em órbita geoestacionária (ou seja, uma órbita onde o satélite voa a tal velocidade onde ele está sempre sobre o mesmo ponto na Terra) que, por sua vez, transmitiria o sinal a outro satélite ou até diretamente para a estação em outro local. Hoje em dia esta forma de comunicação ainda é utilizada em alguns países com poucas redes via cabos, mas em geral foi substituída por conexões submarinas de fibra óptica.

Satélites - satélite de comunicação em alta frequência

Exemplo de um satélite de comunicação em alta frequência, utilizado para comunicação entre os EUA e países aliados
(Fonte: Wikipedia)

Hoje em dia, porém, os usos de satélites de comunicação são muito mais diversos. Muitos já tiveram contato com televisão transmitida via satélite ou sinal de internet via satélite, por exemplo. Em alguns locais há também a transmissão de sinais de rádio via satélite, seguindo princípios semelhantes. Inclusive há locais onde os filmes no cinema, ao invés de serem exibidos a partir de uma fita de filme ou de arquivos em computadores, são transmitidos por um sinal de satélite.

Outro uso moderno dos satélites de comunicação é por parte de organizações militares. Enquanto comunicações do dia-a-dia podem ser feitas pessoalmente por estas organizações, muitas informações confidenciais e/ou de máxima importância são transmitidas por satélites especializados, que permitem uma comunicação resistente a obstruções e interferências.

Satélites - Antena parabólica de Raisting - Alemanha

Antena parabólica de comunicação com satélite do maior centro de comunicação via satélite em Raisting, na Alemanha
(Fonte: Wikipedia)

Atualmente existem mais de 2000 satélites de comunicação em órbita, sendo utilizados tanto por organizações particulares quanto por governos. Apesar deles estarem lentamente abrindo espaço para comunicação através de fibra óptica, os avanços e mudanças trazidos pelas comunicações via satélite ainda são sentidos em nosso mundo, que está interconectado como nunca antes visto.

 

Related Posts with Thumbnails

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *