BIM: do 3D ao 7D

Já é comum aos nossos ouvidos a sigla BIM (Building Information Modeling), quando a escutamos logo pensamos num modelo 3D de maquete eletrônica. E se isso o faz pensar que o modelo 3D é mais que o suficiente para a perfeita execução de um projeto, você está enganado. A prática nos mostra que o resultado construído raramente reflete 100% corretamente o que foi planejado, pois interferências, ineficiências, alterações de projeto ou de especificações fazem com que a obra física acabe se alterando.

BIM 3D7D -1

 

http://goo.gl/0Fy10N

 

O BIM 3D se trata de um modelo 3D consolidado de todo o projeto, ou seja, englobando tanto o aspecto arquitetônico como elementos mecânicos, hidráulicos e elétricos. Neste modelo temos todas as informações para a caracterização do projeto e posicionamento espacial dele. Além da melhor visualização espacial, o BIM 3D traz como grande benefício o poder de compatibilização de projetos, onde podemos ver onde estão os conflitos entre eles. Como uma escada mal posicionada, ou um tubo colidindo com uma parte estrutural importante.

BIM 3D7D -2

 

http://goo.gl/toHcP3

Continue lendo

Curso Sistemas Prediais Hidrossanitários

A crise financeira bateu na porta da construção civil e para manter-se firme no mercado nada melhor que obter novos conhecimentos e expandir nossos horizontes técnicos. A Render lançou recentemente o Curso “Sistemas Prediais Hidrossanitários” e nele você pode adquirir novos conhecimentos e aperfeiçoar os que já possui!

Neste curso são abordados os projetos de Água Fria, onde é ensinado desde terminologias comuns até o dimensionamento de tubulações, reservatórios e hidrômetros. O dimensionamento de tubulações de água quente também é abordado, além dos tipos de aquecimento da água no consumo doméstico.

perda de carga e, hidrômetros

Continue lendo

Construções Sustentáveis

As mudanças climáticas são uma preocupação atual e precisam de grande atenção da população. E na busca de amenizar os impactos da construção civil no meio ambiente surgem as construções sustentáveis. Na construção sustentável, os engenheiros civis e arquitetos procuram usar tecnologias ecológicas nas obras para preservar o meio ambiente e poupar os recursos naturais.

Algumas premissas são levadas em conta quando falamos de construções sustentáveis, são elas:

Projetos inteligentes: Nesses casos os projetos de engenharia e arquitetura levam em conta características naturais do ambiente, tais como: declividade do terreno, iluminação natural, direção dos ventos e etc. Assim, um projeto inteligente é aquele que possui uma pesquisa precedente ao projeto em si. Serão analisados, além das características naturais, a disponibilidade de materiais próximo a obra e o entorno dela, fazendo assim além da análise técnica, análises econômicas e sociais. Continue lendo

Poliestireno expandido, você já ouviu falar?

Talvez não com esse nome, mas fato é que ele está presente na sua vida mais do que muitos imaginam. O poliestireno expandido (EPS) é popularmente conhecido pelo seu nome comercial Isopor®.  Você o vê comumente nas embalagens e em caixas térmicas, mas nesse artigo conheceremos algumas utilizações desse produto na construção civil que talvez você não conheça!

O EPS foi descoberto em 1949 pelos químicos Fritz Stastny e Karl Buchholz, quando trabalhavam nos laboratórios da Basf, na Alemanha e é um plástico celular rígido, resultante da polimerização do estireno em água. Como agente expansor para a transformação do EPS, emprega-se o pentano, um hidrocarbureto que se deteriora rapidamente pela reação fotoquímica gerada pelos raios solares, sem comprometer o meio ambiente.

O produto final é composto de pérolas de até 3 milímetros de diâmetro, que se destinam à expansão. No processo de transformação, essas pérolas são submetidas à expansão em até 50 vezes o seu tamanho original, através de vapor, fundindo-se e moldando-se em formas diversas. Expandidas, as pérolas consistem em até 98% de ar e apenas 2% de poliestireno.

Quanto mais denso o EPS mais resistente ele é e menor é sua deformação, com isso são empregadas diversas densidades desse material na construção civil dependendo da finalidade em que ele é usado.

EPS1

Gráfico: deformação versus resistência para diversas densidades de EPS
Fonte: http://goo.gl/si5KTW

Continue lendo

Água da chuva: não a deixe ir pelo ralo!

Seja pela crise hídrica ou econômica, atualmente usar a água da chuva tem se tornado uma prática cada vez mais comum no país. O aproveitamento de água de chuva em residências, prédios comerciais e indústrias pode contribuir com a conservação de mananciais, com a redução de enchentes nas cidades, e com a diminuição da utilização de energia e insumos na captação, adução, tratamento e distribuição de água potável.

Por mais que pensemos que a água nunca acabará, ela é um bem finito que deve ser preservado. Por isso é tão importante o aproveitamento da água da chuva.

O aproveitamento de água de chuva não pode receber o termo reuso de água de chuva e nem chamado de reaproveitamento, reuso é quando a água já foi utilizada pelo homem seja na sua higiene pessoal, lavagem de roupas, bacias sanitárias, etc.

A água de chuva armazenada sem tratamento adequado pode ser utilizada apenas para consumo não potável, não servindo para o consumo humano, seja na ingestão, banho, preparação de alimentos, etc. A água de chuva tem potencial para utilização na descarga de vasos sanitários, irrigação de jardins, lavagem de carros, sistemas de ar-condicionado, sistemas de combate a incêndios, entre outros. Continue lendo

Lean Construction: Uma nova maneira de pensar e construir

Lean Construction, ou construção enxuta, é uma filosofia relativamente jovem no ramo da construção civil, e surgiu após o pesquisador finlandês Lauri Koskela publicar seu trabalho “Application of the new production philosofy in the construction industry”, em 1992.

O modelo tradicional de produção, considera a construção como um conjunto de atividades de conversão, que transformam insumos em produtos. Por exemplo, considera a conversão dos tijolos e argamassa em uma parede. Esse modelo de conversão não considera explicitamente algumas atividades, como a espera de materiais na obra pelos trabalhadores, o transporte desses materiais e o retrabalho. Ao contrário das atividades de conversão, essas atividades não agregam valor.

O modelo tradicional também não considera as necessidades do cliente. Por exemplo, uma construtora oferece apartamentos para os clientes em que eles são responsáveis pela colocação do revestimento cerâmico, mas na execução do contra piso a construtora o deixa muito liso. Num primeiro momento, isso é agradável esteticamente, mas prejudica quem for assentar o revestimento, pois este precisa de uma superfície com ranhuras para que a argamassa de assentamento tenha aderência. Continue lendo

Modelando Objetos Decorativos no Revit Architecture

Revit Architecture foi desenvolvido especialmente para atender o amplo mercado de arquitetura e engenharia civil, disponibilizando extensa gama de ferramentas e recursos, possibilitando, assim, desde a definição conceitual do projeto, até a sua visualização 3D renderizada.

Para atender este público e suas necessidades, a Render oferece diversos cursos que ensinam a utilizar o Revit, conheça o nosso pacote ApRender+: Continue lendo

Edifícios Inteligentes

Edifícios inteligentes são aqueles dotados de recursos destinados à automação e melhoria do desempenho de suas instalações. Este tipo de edifício consegue acompanhar as exigências do mercado, uma vez que são capazes de oferecer um ambiente produtivo, onde a relação custo/benefício torna-se agradável devido à otimização dos sistemas, estrutura, serviços, gerenciamento e manutenção. Vale notar que a inteligência dos edifícios não pode ser avaliada somente pela quantidade de sistemas automatizados, mas sim pelos conceitos dos elementos provenientes de um projeto integrado, sendo eles: infraestrutura predial, infraestrutura de acabamento, automação de sistemas, controle integrado de sistemas, gerenciamento e manutenção.

canopea1

Fonte: http://goo.gl/3Tw8oE

Os edifícios inteligentes vieram à tona após estudos indicarem que construções como prédios comerciais, residenciais, hospitais, aeroportos, rodoviárias, prédios governamentais, condomínios, fábricas, e assim por diante, serão responsáveis pelo consumo de 42% da eletricidade mundial até 2025 e, por consequência, serão os maiores emissores de gases de efeito estufa do planeta. Continue lendo

Criando Template para Elevações no Revit

O Revit é um software completo para projetos de arquitetura, construção, engenharia estrutural e MEP, incluindo extensa gama de ferramentas e recursos, que possibilitam desde a definição conceitual do projeto, até o seu desenvolvimento em 3D.

A Render oferece diversos cursos que ensinam a usar o Revit e um deles é o curso Revit Architecture 2014 Fundamentos, que desenvolve o projeto de uma residência usando os recursos e ferramentas do software. Porém, alguns templates podem não acompanhar o Revit durante a sua instalação, devido alguma falha no período de instalação ou por não baixar as bibliotecas que o acompanham. Continue lendo

1 2