Category Archives: Eletronica

Montando um Medidor de Frequência

O frequencímetro, também chamado de frequenciômetro, é um equipamento eletrônico bastante utilizado na realização de medições de frequência de sinais, de modo periódico, utilizando-se a unidade Hz (hertz) de medida.

Os frequencímetros podem ser analógicos ou digitais. Um frequencímetro digital possui, dentre outras características, um mostrador digital para visualização do operador. Já o frequencímetro analógico possui um mostrador de ponteiro.

No mostrador são informadas as frequências medidas, de acordo com a escala utilizada pelo operador do frequencímetro, que pode ser: Hz, MHz, kHz ou Ghz. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Bobinas de Multicamadas com Núcleo de Ar

Receptores de rádio e outros aparelhos usam circuitos ressonantes LC (indutor + capacitor) para sintonizar a frequência desejada. Em geral, os indutores são fixos e os capacitores são variáveis para permitir o ajuste da sintonia.

Em frequências altas (ondas curtas ou superiores), os valores de indutância são pequenos e as bobinas não precisam de núcleo magnético, podendo ser facilmente construídas com fios de cobre esmaltados.

As bobinas de multicamadas com núcleo de ar são muito utilizadas nesses circuitos e, neste artigo, veremos como calcular a indutância dessas bobinas para elaboração desses projetos. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Montando um Oscilador de Onda Quadrada Ajustável

Um oscilador de onda quadrada pode ser utilizado para diversos tipos de aplicações na eletrônica, sendo também um equipamento ideal para a realização de testes em diversos tipos de circuitos.

Utilizando o circuito integrado (CI) 555, podemos elaborar um oscilador de onda quadrada que gere diversas frequências com valores ajustáveis.

No esquema mostrado, logo abaixo, temos um Oscilador de Onda Quadrada que gera sinais entre 1 Hz a 100 kHz.

oscilador_de_onda_quadrada

Oscilador de Onda Quadrada com CI555

No seletor de frequência podemos utilizar uma chave de 6 posições ou mesmo interruptores individuais para ajustar cada frequência. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Bobinas Espiraladas com Núcleo de Ar

Todos os condutores ou circuitos elétricos se opõem a qualquer variação em sua corrente, por causa do fenômeno da autoindução. Esta propriedade apresentada por condutores e circuitos recebe o nome de indutância.

No que se refere ao material do núcleo, as bobinas podem ser de quatro tipos particularmente distintos: com núcleo de ar; com núcleo de ferro; com núcleo de pó de metal; e com núcleo de ferrite.

Neste artigo abordaremos as bobinas espiraladas com núcleo de ar, onde o enrolamento do fio condutor é colocado em um suporte não magnético, como plástico, papel ou fibra de vidro. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Bobinas de uma Camada com Núcleo de Ar

O valor da indutância apresentada em um circuito, depende de muitos fatores. Os principais são: comprimento e disposição dos condutores.

O valor da indutância de uma bobina é determinado pelo tamanho e formato da bobina, número de espiras e do material de que é feito o núcleo. O espaçamento entre as espiras da bobina também influi no valor da indutância, principalmente em casos de frequências elevadas.

As bobinas de uma camada com núcleo de ar são construídas com as espiras enroladas lado a lado, sobre um tubo de material não magnético. Este tubo pode ser de cerâmica, papel, poliestireno, baquelite ou outro material não magnético.

Quando as espiras são colocadas muito próximas umas às outras é necessário isolá-las para evitar curtos-circuitos. Geralmente o isolamento dos condutores que compõem as espiras é feito com esmalte ou verniz.

Bobina-de-uma-camada-com-nucleo-de-ar

Figura 1 – Bobina de Uma Camada com Núcleo de Ar

Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como Utilizar os Instrumentos do LabVIEW no Multisim

Poder interagir no Multisim com os instrumentos elaborados no LabVIEW é um grande recurso que amplia a utilização do software para o desenvolvimento de diversos projetos técnicos e acadêmicos.

No site da comunidade da National Instruments, temos acessos a diversas análises e instrumentos virtuais criados no LabVIEW que podem ser utilizados no Multisim, mas, não é necessário instalar o software LabVIEW para usar as ferramentas. Após o download, ao utilizar o Multisim, essas análises serão instaladas automaticamente.

Vejamos então um exemplo de como utilizar esses aplicativos. Acesse o site da comunidade: https://decibel.ni.com/content/groups/multisim-custom-simulation-analyses-and-instruments-powered-by-labview?view=overview

Do lado direito da página, acesse os modelos de aplicativos desenvolvidos pelos membros da comunidade.

Em cada pasta, encontram-se as áreas de aplicação dos instrumentos e análises. Devemos clicar em uma dessas pastas para baixar o instrumento que desejamos adicionar ao Multisim.Area-de-aplicacao-dos-instrumentos

Áreas de Aplicação dos Instrumentos

Depois, devemos clicar no arquivo zipado para fazer o download do aplicativo que escolhemos. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Amplificadores Classe A

Amplificadores possuem uma forma de classificação feita de acordo com a variação do sinal de saída, havendo as classes A, AB, B e C, chamadas de classes de operação. Dentre estas classes, trataremos sobre os amplificadores classe A, onde o sinal de saída deve ser uma cópia exata do sinal amplificado à sua entrada.

Dizemos que um amplificador de sinais funciona em classe A quando todo o ciclo do sinal é amplificado.

Amplificador-classe-A

Amplificador classe A

Função dos componentes

Q1: transistor amplificador

R1 e RB: polarizam a base de Q1 com DC

RC: resistor de coletor

RE: resistor de emissor

CA1: capacitor de acoplamento → impede que a tensão de polarização (DC) da base (VB) chegue à bobina do microfone, o que provocaria a despolarização de Q1

CA2: capacitor de desacoplamento → impede que a tensão contínua do coletor vá para outros circuitos do aparelho

CE: capacitor de desacoplamento → faz com que o emissor de Q1 fique ligado ao outro terminal do microfone, pois Q1 está ligado na configuração emissor comum que tem o sinal de entrada entre a base e o emissor, e o sinal de saída entre o emissor e o coletor. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

O avanço da eletrônica na indústria

Até algumas décadas atrás, grande parte do maquinário utilizado nas indústrias era eletromecânico e as válvulas termiônicas eram a base dos circuitos eletrônicos. Apesar de apresentarem grandes vantagens, estes maquinários demandavam grande consumo de energia elétrica, tornando-se restritos para algumas empresas.

As válvulas para essas aplicações eram especiais e, portanto, de custo elevado, pois as válvulas comuns não serviam para realizar a função de chave eletrônica, o que os SCRs e os TRIACs fazem com a maior facilidade. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como Calcular o Valor de um Resistor

O valor da resistência é marcado no corpo do resistor através de cores. Cada cor representa um número diferente a qual você pode memorizar para fazer a leitura ou pode simplesmente usar uma tabela.
Mas se você não quer memorizar as cores que definem os valores, poderá utilizar “softwares” para leitura de resistências. No entanto, você deve optar pela opção que achar mais conveniente. Neste artigo eu vou mostrar todas as formas de calcular o valor do resistor.
Na figura abaixo, temos uma tabela com os códigos das cores, as faixas, os multiplicadores decimais e tolerância.

Tabela de Cores de Resistores 
Resistores - 01Figura – Tabela-resistores
Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Instrumentos Virtuais do LabVIEW no Multisim

Além dos instrumentos virtuais típicos (Analisador Lógico, Osciloscópio, etc) para simulação de circuitos no Multisim, existe um conjunto especial de instrumentos conhecidos como Instrumentos LabVIEW.

O LabVIEW é uma linguagem de programação gráfica utilizada em aplicações de controle, medição, automatização, monitoramento, etc.

A linguagem de programação do LabVIEW é igual a qualquer outro tipo de linguagem, o que permite criarmos nossos próprios programas. A única diferença é que não se utiliza textos para a programação, mas sim blocos que se conectam entre si.

Para facilitar ainda mais a programação, o LabVIEW dispõe de muitas livrarias para fazer cálculos matemáticos, análises de sinais, aquisição de dados, entre outros.

Podemos criar um programa no LabVIEW e utilizar dentro do Multisim para realizar uma tarefa específica.
Utilizando a barra de instrumentos do Multisim, encontramos alguns instrumentos de LabVIEW que permitem criar certas aplicações.

De acordo com a figura abaixo, podemos observar que temos um analisador BJT, um medidor de impedância, um microfone, um autofalante, entre outros. Para utilizar esses instrumentos, os colocamos na área de trabalho do Multisim e com um clique duplo abrimos o seu painel frontal.

2-1
 Instrumentos de LabVIEW no Multisim Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
1 2 3