Category Archives: Construção

BIM: do 3D ao 7D

Já é comum aos nossos ouvidos a sigla BIM (Building Information Modeling), quando a escutamos logo pensamos num modelo 3D de maquete eletrônica. E se isso o faz pensar que o modelo 3D é mais que o suficiente para a perfeita execução de um projeto, você está enganado. A prática nos mostra que o resultado construído raramente reflete 100% corretamente o que foi planejado, pois interferências, ineficiências, alterações de projeto ou de especificações fazem com que a obra física acabe se alterando.

BIM 3D7D -1

 

http://goo.gl/0Fy10N

 

O BIM 3D se trata de um modelo 3D consolidado de todo o projeto, ou seja, englobando tanto o aspecto arquitetônico como elementos mecânicos, hidráulicos e elétricos. Neste modelo temos todas as informações para a caracterização do projeto e posicionamento espacial dele. Além da melhor visualização espacial, o BIM 3D traz como grande benefício o poder de compatibilização de projetos, onde podemos ver onde estão os conflitos entre eles. Como uma escada mal posicionada, ou um tubo colidindo com uma parte estrutural importante.

BIM 3D7D -2

 

http://goo.gl/toHcP3

Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Construções Sustentáveis

As mudanças climáticas são uma preocupação atual e precisam de grande atenção da população. E na busca de amenizar os impactos da construção civil no meio ambiente surgem as construções sustentáveis. Na construção sustentável, os engenheiros civis e arquitetos procuram usar tecnologias ecológicas nas obras para preservar o meio ambiente e poupar os recursos naturais.

Algumas premissas são levadas em conta quando falamos de construções sustentáveis, são elas:

Projetos inteligentes: Nesses casos os projetos de engenharia e arquitetura levam em conta características naturais do ambiente, tais como: declividade do terreno, iluminação natural, direção dos ventos e etc. Assim, um projeto inteligente é aquele que possui uma pesquisa precedente ao projeto em si. Serão analisados, além das características naturais, a disponibilidade de materiais próximo a obra e o entorno dela, fazendo assim além da análise técnica, análises econômicas e sociais. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Poliestireno expandido, você já ouviu falar?

Talvez não com esse nome, mas fato é que ele está presente na sua vida mais do que muitos imaginam. O poliestireno expandido (EPS) é popularmente conhecido pelo seu nome comercial Isopor®.  Você o vê comumente nas embalagens e em caixas térmicas, mas nesse artigo conheceremos algumas utilizações desse produto na construção civil que talvez você não conheça!

O EPS foi descoberto em 1949 pelos químicos Fritz Stastny e Karl Buchholz, quando trabalhavam nos laboratórios da Basf, na Alemanha e é um plástico celular rígido, resultante da polimerização do estireno em água. Como agente expansor para a transformação do EPS, emprega-se o pentano, um hidrocarbureto que se deteriora rapidamente pela reação fotoquímica gerada pelos raios solares, sem comprometer o meio ambiente.

O produto final é composto de pérolas de até 3 milímetros de diâmetro, que se destinam à expansão. No processo de transformação, essas pérolas são submetidas à expansão em até 50 vezes o seu tamanho original, através de vapor, fundindo-se e moldando-se em formas diversas. Expandidas, as pérolas consistem em até 98% de ar e apenas 2% de poliestireno.

Quanto mais denso o EPS mais resistente ele é e menor é sua deformação, com isso são empregadas diversas densidades desse material na construção civil dependendo da finalidade em que ele é usado.

EPS1

Gráfico: deformação versus resistência para diversas densidades de EPS
Fonte: http://goo.gl/si5KTW

Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Água da chuva: não a deixe ir pelo ralo!

Seja pela crise hídrica ou econômica, atualmente usar a água da chuva tem se tornado uma prática cada vez mais comum no país. O aproveitamento de água de chuva em residências, prédios comerciais e indústrias pode contribuir com a conservação de mananciais, com a redução de enchentes nas cidades, e com a diminuição da utilização de energia e insumos na captação, adução, tratamento e distribuição de água potável.

Por mais que pensemos que a água nunca acabará, ela é um bem finito que deve ser preservado. Por isso é tão importante o aproveitamento da água da chuva.

O aproveitamento de água de chuva não pode receber o termo reuso de água de chuva e nem chamado de reaproveitamento, reuso é quando a água já foi utilizada pelo homem seja na sua higiene pessoal, lavagem de roupas, bacias sanitárias, etc.

A água de chuva armazenada sem tratamento adequado pode ser utilizada apenas para consumo não potável, não servindo para o consumo humano, seja na ingestão, banho, preparação de alimentos, etc. A água de chuva tem potencial para utilização na descarga de vasos sanitários, irrigação de jardins, lavagem de carros, sistemas de ar-condicionado, sistemas de combate a incêndios, entre outros. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Lean Construction: Uma nova maneira de pensar e construir

Lean Construction, ou construção enxuta, é uma filosofia relativamente jovem no ramo da construção civil, e surgiu após o pesquisador finlandês Lauri Koskela publicar seu trabalho “Application of the new production philosofy in the construction industry”, em 1992.

O modelo tradicional de produção, considera a construção como um conjunto de atividades de conversão, que transformam insumos em produtos. Por exemplo, considera a conversão dos tijolos e argamassa em uma parede. Esse modelo de conversão não considera explicitamente algumas atividades, como a espera de materiais na obra pelos trabalhadores, o transporte desses materiais e o retrabalho. Ao contrário das atividades de conversão, essas atividades não agregam valor.

O modelo tradicional também não considera as necessidades do cliente. Por exemplo, uma construtora oferece apartamentos para os clientes em que eles são responsáveis pela colocação do revestimento cerâmico, mas na execução do contra piso a construtora o deixa muito liso. Num primeiro momento, isso é agradável esteticamente, mas prejudica quem for assentar o revestimento, pois este precisa de uma superfície com ranhuras para que a argamassa de assentamento tenha aderência. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

A importância da Compatibilização de Projetos na Construção Civil

É muito comum na construção civil os projetos serem realizados por diversas equipes. Aí que nasce um grande problema para as construtoras e escritórios de projetos: juntar todos os projetos e verificar se não existem conflitos entre eles.

Por exemplo, um engenheiro eletricista previu um quadro geral de disjuntores no mesmo lugar onde o engenheiro estrutural posicionou um pilar em seu projeto. Ou ainda, o projetista hidrossanitário previu diversos ramais de esgoto cortando vigas, mas em seus cálculos o projetista estrutural não previu esses furos.

Compatibilização de Projetos - erros-engenharia-04

Fonte: http://www.g17.com.br/imagens/2013/agosto/erros-engenharia-04.jpg

Essas podem parecer situações bobas, mas ocorrem com grande frequência na construção civil e causam uma grande dor de cabeça se descobertas apenas na fase de execução. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Edifícios Inteligentes

Edifícios inteligentes são aqueles dotados de recursos destinados à automação e melhoria do desempenho de suas instalações. Este tipo de edifício consegue acompanhar as exigências do mercado, uma vez que são capazes de oferecer um ambiente produtivo, onde a relação custo/benefício torna-se agradável devido à otimização dos sistemas, estrutura, serviços, gerenciamento e manutenção. Vale notar que a inteligência dos edifícios não pode ser avaliada somente pela quantidade de sistemas automatizados, mas sim pelos conceitos dos elementos provenientes de um projeto integrado, sendo eles: infraestrutura predial, infraestrutura de acabamento, automação de sistemas, controle integrado de sistemas, gerenciamento e manutenção.

canopea1

Fonte: http://goo.gl/3Tw8oE

Os edifícios inteligentes vieram à tona após estudos indicarem que construções como prédios comerciais, residenciais, hospitais, aeroportos, rodoviárias, prédios governamentais, condomínios, fábricas, e assim por diante, serão responsáveis pelo consumo de 42% da eletricidade mundial até 2025 e, por consequência, serão os maiores emissores de gases de efeito estufa do planeta. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Sensores e suas utilidades

Uma central de alarme é um equipamento eletrônico destinado à proteção de um determinado local. A central é acionada por sensores caso haja uma intrusão em uma área. Existem as centrais convencionais e as monitoradas. A grande diferença é que as centrais monitoradas permitem o monitoramento constante, o que não ocorre com a central convencional. Na central monitorada, um alerta é enviado para o software de monitoramento que, por sua vez, é instalado em empresas de segurança 24h, sendo que essas ficam responsáveis por verificar quaisquer indícios de alerta informados pela central.

 

Nas cercas elétricas, o eletrificador de cercas converte a energia elétrica da Rede 110/220V de alta corrente para alta voltagem 6 a 10.000 Volts e baixa corrente (0,1mA). Embora você não o veja, o “coração” da cerca elétrica é o eletrificador, aparelho que gera o choque transmitido por toda fiação. Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Dicas de Como Aprender AutoCAD para Arquitetura, Engenharia e Construção

Existem vários softwares específicos para a área AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção), mas podemos dizer que hoje o mais utilizado ainda é o AutoCAD. Existe uma base imensa de desenhos feitos neste software e uma multidão de profissionais e empresas que utilizam o mesmo, então nada melhor que iniciar sua carreira aprendendo a utilizar o AutoCAD, e depois softwares direcionados para cada fim.

Descrevemos aqui algumas dicas para quem deseja entrar na área, mas também para aqueles que desejam se aprimorar no uso do software AutoCAD:

Para quem deseja iniciar na área, ser um “Cadista” em AEC.

Os requisitos de conhecimento para estar na área são: compreender desenho técnico arquitetônico, e saber utilizar o AutoCAD com habilidades para desenvolver desenhos do início ao fim, criando um documento padronizado e de boa qualidade.

A Render possui cursos bem direcionados para esta área, e o aprendizado sugerido segue uma sequência, conforme os cursos abaixo:

  1. Desenho Técnico Arquitetônico – Leitura e Interpretação
  2. AutoCAD 2011 2D Essencial
  3. AutoCAD 2011 Planta Baixa
  4. AutoCAD 2011 Exemplos Práticos de Plantas e Cortes
  5. AutoCAD 2012 2D Técnicas para Projeto de Interiores

Neste pacote de 5 cursos você conseguirá aprender desde o básico do desenho técnico arquitetônico até a criação de plantas detalhadas, bem como as técnicas de projeto de ambientes de interiores no AutoCAD. Para este pacote ainda indicamos que o curso inicial básico de AutoCAD, item 2 do pacote acima, seja feito na versão do software que está instalado em seu computador. Então se tiver a versão 2010 do AutoCAD poderá substituí-lo pelo Curso AutoCAD 2010 2D Exemplos Práticos.

Quem já passou desta etapa de conhecimento poderá partir para a área de criação do modelo em 3D. A vantagem é que através do 3D é possível apresentar ao cliente imagens que se assemelham bastante à construção final, facilitando assim a apresentação das ideias do seu projeto.

O 3D pode ser feito no próprio AutoCAD, ou também pode ser criado em softwares de animação ou outros, focados mesmo em arquitetura.

Abaixo sugerimos alguns pacotes e suas vantagens:

Read more

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS